Ciente da importância de garantir a execução dos projectos em conformidade com os compromissos assumidos, salvaguardando os interesses nacionais e protegendo os respectivos investimentos públicos, a Linha Terra adopta uma postura pragmática de fiscalização, de rigor alicerçada em factos, com total imparcialidade e isenta de influências.

A nossa intervenção prima pelo equilíbrio contratual, cumprimento da legalidade, e pauta-se por uma atitude pedagógica e de suporte à resolução de problemas em prol dos desígnios da nação e da concretização dos objectivos do projecto. Neste sentido, garante-se conformidade em termos de âmbito, minimiza-se desvios e assegura-se o cumprimento de prazos e de orçamentos, e analisa-se a relação entre execuções físicas e financeiras, validando a legitimidade da emissão de facturas, trabalhos a mais/ a menos, autos de entrega, entre outros.

A nossa colaboração materializa-se num acompanhamento presencial contínuo em obra, nas várias especialidades do projecto, e na emissão de relatórios de fiscalização, de progresso e de gestão com periodicidades pré-definidas, complementados com recomendações, sugestões de melhoria e acções preventivas, jogando em antecipação a eventuais riscos.

Uma das principais mais valias do modelo de fiscalização da Linha Terra está relacionada com a retenção para memória futura de todos os entregáveis gerados ao longo do projecto. São utilizadas plataformas tecnológicas ao nível de repositório de dados, documentos e desenhos, garantindo o controlo de versões, o não repúdio e disponibilização em qualquer dispositivo. A criticidade deste processo é normalmente percepcionada passado algum tempo da entrada em operação dos projectos.

 

Voltar